Sociedade Brasileira de Radioterapia orienta pacientes com câncer a manterem tratamento

A pandemia de coronavírus impôs em boa parte do mundo o isolamento social, uma medida que tem como objetivo evitar aglomerações e reduzir a propagação da doença. A Sociedade Brasileira de Radioterapia (SBRT) emitiu um comunicado em que orienta pacientes oncológicos a não interromper suas sessões e a evitar contato físico, como cumprimentos com beijos, abraços e apertos de mão.

O radio-oncologista Carlos Rebello, diretor do Instituto de Radioterapia Vitória (IRV), recomenda um reforço maior nos cuidados de higiene e que se evite o contato com quem tenha sintomas de gripe, mesmo que eles sejam leves, uma vez que pessoas com câncer devem se resguardar, pois fazem parte do grupo de risco da Covid-19.

Dr Carlos de Freitas Rebello, médico do IRV

“Os pacientes precisam ter cuidado para não adquirir a infecção, evitando locais de aglomeração e contato com quem viajou para regiões de epidemia. A orientação é que os tratamentos não sejam suspensos. Mas cada caso deve ser individualizado e avaliado com o médico responsável”, destaca o especialista.

 

A artesã Karla Groner, 43 anos, disse que sua rotina mudou bastante na reta final da radioterapia para tratar câncer no endométrio. 

“Eu tinha uma vida normal, costumava sair. Agora não faço mais isso. Uso máscara sempre que saio para fazer o tratamento. Ao voltar para casa, tiro os sapatos antes de entrar, calço outros que estão do lado de dentro e vou tomar banho. No banheiro, boto a roupa para lavar em saco plástico. Redobrei os cuidados com a higienização das mãos, uso muito o álcool gel e não tenho contato com outras pessoas porque como a imunidade cai, qualquer gripe pode virar algo mais sério”, conta Karla.

 

O isolamento domiciliar é uma recomendação do Ministério da Saúde e para ser eficaz precisa contar com o bom senso das pessoas. Segundo Carlos Rebello, pessoas com câncer devem aproveitar esse momento para se fortalecerem tanto física quanto mentalmente para seguir com o tratamento.

“O paciente oncológico não pode enfraquecer. Deve continuar ativo, em busca de sua cura com apoio dos familiares e amigos. O melhor caminho é fazer atividade física em casa e se alimentar bem, cuidando da nutrição”, afirma o radio-oncologista.

 

Seguindo orientações da SBRT, o IRV ampliou as medidas de prevenção ao coronavírus desde a porta de entrada da clínica, de modo a não haver contato com a maçaneta. Logo na chegada, os pacientes e seus acompanhantes são orientados a lavar as mãos com água e sabão, e a usar o álcool gel.

“Estamos recomendando também que os pacientes tragam apenas um acompanhante, alertando que essa pessoa não pode estar gripada, nem ser idosa. Após a sessão de radioterapia, orientamos a não ficar por muito tempo no setor, evitando aglomerações”, explica Carlos Rebello.

 

Caso a pessoa em tratamento apresente sintomas de gripe, febre e coriza antes de comparecer à radioterapia, a orientação, segundo Carlos Rebello, é entrar em contato com a clínica para que medidas preventivas sejam tomadas. O mesmo vale para quem teve contato com passageiros que vieram de áreas de risco.

compartilhe esse post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email