Vamos ajudar idosos e doentes crônicos a evitar o coronavírus

A pandemia de coronavírus declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) aumentou a preocupação de todo o planeta com o avanço da doença. Agora, mais do que nunca, é preciso cuidar com muita atenção dos idosos e das pessoas que sofrem de doenças crônicas, como hipertensão, diabetes e câncer.

Os idosos são mais vulneráveis a doenças infectocontagiosas. Pulmões e mucosas se tornam frágeis com a idade e vulneráveis a doenças virais. Por isso, estar com as vacinas em dia é extremamente importante.

A participação de familiares de idosos é fundamental no sentido de dar carinho, suporte afetivo e orientar para que eles não se exponham a ambientes fechados e a locais com aglomeração. O ideal é manter distância de um metro em relação a outra pessoa para evitar contaminação. 

Os cuidados com a higiene são imprescindíveis para evitar o contágio, como lavar as mãos com regularidade e usar o álcool gel. Ao tossir ou espirrar, deve-se cobrir a boca. O melhor é ter por perto lenços de papel, que devem ser descartados logo após o uso. Parentes e cuidadores que ficam perto de idosos também precisam estar vigilantes com relação à limpeza das próprias mãos e roupas antes de entrar em contato com os mais velhos.

Neste período de incertezas por conta do avanço do Covid-19, pessoas com câncer também precisam redobrar a atenção, pois assim como os idosos, fazem parte de grupos de risco. Frequentemente, pacientes oncológicos têm uma imunidade reduzida devido à própria doença, por um estado debilitado de recuperação pós-cirúrgica ou pelo efeito imunossupressor de alguns tratamentos, como quimioterapia, cortisona, transfusões de sangue e radioterapia. 

A Sociedade Brasileira de Radioterapia (SBRT) recomenda que os pacientes com câncer não interrompam seus tratamentos oncológicos; que evitem contato físico, como cumprimentar com beijos e abraços; que não mantenham relação com qualquer pessoa que tenha sintomas gripais e/ou que esteja sob suspeita de ter contraído o Covid-19; e a não chegar perto de pessoas que estejam vindo do exterior, com ou sem sintomas gripais. Em caso de febre, coriza, tosse seca e falta de ar, a orientação é procurar ajuda médica.

A SBRT recomenda que os departamentos e clínicas de radioterapia orientem pacientes e acompanhantes a permanecerem nestes locais somente o tempo necessário para o tratamento; intensifiquem a frequência de higienização dos aparelhos e áreas comuns; organizem as agendas para reduzir o número de pessoas na sala de espera; e que reforcem entre os técnicos de radioterapia os cuidados de higiene das mãos com água e sabão ou preparação alcoólica após cada sessão.

Algumas orientações valem tanto para idosos quanto para doentes crônicos: não compartilhar utensílios, como talheres, pratos ou garrafas; fazer exercícios regulares sob orientação e não se descuidar de beber água.

E em tempo de fake news, não custa nada lembrar: cuidado com as notícias falsas que circulam na internet. É hora de conscientização e não de disseminar o pânico. O ideal é se informar por meio de veículos de comunicação sérios ou com agentes de saúde.

 

compartilhe esse post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email